Image Map

quarta-feira, setembro 16

BE: Extraordinário


Seu resumo está bem explicadinho sobre o que precisa da minha opinião, e eu adorei isso porque pra uma novata como eu é necessário ter um norte na crítica e você soube exatamente o que deveria perguntar 
ANÁLISE DO ENREDO.

  • ENREDO
No seu enredo estava bem claro o início, o meio e o fim. E a minha única preocupação é quanto a sua pesquisa sobre a doença retratada, porque muitas vezes ler termos técnicos numa história pode enriquecer a história, mas o contrário também acontece deixando a leitura maçante, então encontre um meio termo exemplificando de forma fácil os sintomas dela, ainda mais quando o foco é mais a vida da protagonista além da doença o romance que pode vir a ter, os pais numa crise, a mudança repentina, enfim não defina a personagem como alguém doente e sim como uma garota, assim .
DICAS
  • Escreva como tem vontade, a história vai fluir melhor se você sentir-se bem escrevendo, depois você se preocupa com revisar e betar o capítulo.
Nota para o enredo:  10,0 | 10,0

  • CLICHÊ

Sinceramente, seu enredo é clichê, mas uma coisa que ultimamente eu ando vendo é que todo mundo evita o clichê como o diabo foge da cruz, e nunca entendo o porquê. Um clichê bem escrito vale tanto quando um original bem escrito. Tentei pensar em opções para evitá-lo como pediu, porém qualquer coisa teria alterado completamente a essência da história, e pra mim se torna impensável e desnecessário. Então, vou dar algumas dicas que na minha opinião valorizam uma boa história que vale a pena ser lida. Basicamente, desenvolver o personagem por completo, onde você tem a liberdade de explorar todas as nuances da personalidade de alguém tão frágil, ou pelo menos visto como frágil, e ao mesmo tempo áspera como você denominou.

DICAS

  • Explore os sentimentos da personagem, faça as pessoas se apegarem a ela por quem ela é, por isso se coloque no lugar dela ao escrever passando as dores e amores a cada palavra.
  • Aborde as reações dela ao tratamento (se ela ainda for precisar de tratamento, se não, as lembranças do tratamento), os traumas ligados a hospitais, e os internamentos, a relação com os pais.
  • Narração em primeira pessoa, óbvio que isso depende do que é mais fácil pra você, mas em primeira pessoa teríamos uma visão melhor da personagem, não precisaria necessariamente ser a protagonista, um narrador onisciente e oculto ou a amiga, ou o garoto, seriam interessante também.
Nota para o clichê:  10,0 | 10,0

  • PERSONAGENS
Sua personagem tem um passado bem forte para uma base, e pelo que vi tanto ela quanto o núcleo principal (a melhor amiga e o menino inclusos) tem a personalidade e objetivos para nortear no desenvolvimento da história, no entanto, como eu já mencionei, espero ver mais dos outros personagens para não ser apenas mais um drama. Como a mãe dela se sente em relação a filha? E o pai que foi embora? Se ela passar mal por um fato aleatório como comida estragada, a mãe dela entraria em pânico?

DICAS

  • Desenvolva os outros personagens próximos a ela. Pense em quem mais ela consideraria próximo, além desses três (amiga, mãe e o shipper).
  • Não faça eles se apaixonarem a primeira vista, nem a segunda vista. Se, de fato, ela for "áspera", grosseira, por que alguém se apaixonaria tão fácil por ela? Deixe a convivência aproximá-los, use pequenas cenas para aproximá-los. Ela chorando escondida ao descobrir uma conhecida com câncer, ou por uma fobia que desenvolveu por enfermeiras. Ela defender a amiga por alguma razão, ou até mesmo fazê-lo se apaixonar por pequenos hábitos que o tiram do sério...
Nota para os personagens:  9,8| 10,0

MÉDIA: 9,9 | 10,0



Image Map