Image Map

domingo, agosto 14

CF: You Can Follow Me


You Can Follow Me
Link da fanfiction


SinopseEu só queria que você entendesse que quando eu te matei, eu não tava pensando muito. Na verdade, estava era sentindo. Talvez você não tenha morrido por isso. Talvez tenha implodido. Pelo tanto de sentimentos que te causei.

• Design •

 Desculpe a demora, vim dar uma forcinha em CF pra tirar esse atraso e.e
E bem, mais uma vez estou lendo uma one sua, mas dessa vez de uma forma crítica e deus me ajude a ser o mais imparcial possível u.u
Aparência
(Capa, Sinopse)


  • Capa: Então... eu gosto da imagem da capa, ela é simples, mas traduz bem a ideia do se desfazer que o texto apresenta. Porém há muitas falhas de execução. A imagem ficou sim muito boa, mas o elemento textual ficou muito descuidado. Por ser uma capa de dois elementos básicos, você deveria ter tido um acabamento melhor no posicionamento e escolha de fontes.
  • Sinopse: Acho sua sinopse muito bela, e ela trás toda uma prévia do universo desse texto, ela é bem reveladora e neste caso é algo que se sai positivo, que é preciso para entender o texto futuramente, então foi fundamental que ela tenha sido escrita desta forma. Ela é intrigante e curta, chama a atenção para a história e assim cumpre mais que bem sua função.

Nota: 2/3



Ortografia
(Gramática, Pontuação, Coesão Textual, Repetições)

Sua ortografia é ótima. Eu gosto que o tom da escrita seja poético, lhe dá uma certa liberdade de uso das normas e me dá uma liberdade também de avaliação. Você não faltou nas suas aulas de literatura ou português, poque você usa de elementos de linguagens muito bem, que auxiliam a criar essa narrativa rápida, intensa, rítmica. 

Destaco que, por ser uma narrativa poética, o uso de pronomes que comumente seria incorreto é valorizado, exatamente pela questão do ritmo do texto, da leitura. Suas virgulas foram bem postas e, embora eu ache que exista uma quantidade grande de exclamações, elas são importantes para o desenvolvimento da leitura


Nota: 4/4

Enredo
(Criatividade, Desenvolvimento da História, Narrativa)

Vamos lá. A questão de criatividade já é nota máxima. Minha problemática aqui é a questão do enredo. É preciso quebrar muito a cabeça para entender o texto, considerar muitos detalhes e informações que foram dadas e decidir se vamos aplicar metaforicamente ou na literalidade.

Logo, é muito dificil julgar o enredo quando não estou certa se há apenas um. Em minha percepção, a primeira morte que temos, a que o Eu lírico narra na sinopse é a morte da alma. A alma de alguém que ela amou intensamente, e esse amor acabou danificando essa possa, destruiu essa alma despreparada para o amor. A história parece ser um surto, um desabafo de uma mente cansada, que busca um incansável, se dá conta da impossibilidade da situação e mesmo assim persiste, alguém que busca um amor, uma rendição, que quer se livrar da culpa de ter matado uma alma... e temos esse final em aberto. Ela quer mais, mas o que seria o mais? Entregar-se junto ao outro e matar sua própria alma, ou seguir em frente na esperança de ser seguida? Na esperança de se libertar? Aliás, por favor, me diga se acertei algo ou se fiquei louca de tanto pensar nessas frases e.e

Sobre a narrativa... Espetacular, você vem crescendo muito. Desde de seus primeiros capítulos você tem essa tendência de metáforas e poesias, e esse texto é pura e simples poesia em prosa. Eu realmente gostei, como eu já disse, todo o ritmo, a loucura, prende e você acaba numa rapidez que lhe lança em uma corrente de pensamentos em que nos sentimos compelidos a reler, a absorver de fato as palavras e tentar decifrá-las. Uma escrita e narrativa misteriosa e intrigante, um texto de fato, muito bom.


Nota: 2/2


Avaliação Geral
(Avaliação de Banners/Playslist, Dicas para o autor, Comentário Final.)

Esse texto tem potencial para ser expandido, se transformar em uma narrativa mais longa, ter certas lacunas preenchidas, pontos a ser explicados. Ao mesmo tempo que mais um desvaneio seria mágico para um leitor, vários capítulos tirariam a beleza da narrativa. Então minha dica seria: esse fim em aberto, essas lacunas que bugam e instigam a mente dão material para uma coletânea desses seus contos poetizados e seria maravilhoso ler mais desvaneios em momentos de loucura dessa personagem.

Nota: 0/1

Somatório: 09/10





Image Map